Supremo nega prisão domiciliar a José Genoino

Ex-Presidente do PT sofre de doença cardíaca crônica

Com informações do Último Segundo

Apenas dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votaram a favor do benefício de prisão domiciliar a José Genoíno, ex-Presidente do PT. Os demais ministros entenderam que, apesar de Genoíno sofrer uma doença cardíaca, existe condições de ele receber tratamento médico dentro do sistema prisional de Papuda.

Na quarta-feira (25), o STF julgou os recursos apresentados pelos condenados do mensalão sob os benefícios de trabalho externo ou de prisão domiciliar cassados pelo então presidente da Corte, Joaquim Barbosa. Em abril, o Presidente suspendeu a prisão domiciliar de Genoíno alegando que, mesmo com a doença, ele tinha condições de cumprir pena na prisão. Além disso, Barbosa afirmou que o ex-presidente do PT poderia receber tratamento médico adequado dentro da Penitenciária da Papuda.

José Genoíno

José Genoíno. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Para o novo relator do mensalão, ministro Luís Roberto Barroso, os laudos médicos não comprovam que José Genoíno sofra de uma doença grave que não possa ser tratado dentro da Penitenciaria. O ministro afirma que “centenas de presos” em condições semelhantes recebem tratamento médico dentro da prisão.

Votaram contra a prisão domiciliar de Genoino os ministros Luís Roberto Barroso, novo relator do mensalão, além de Teori Zavascki, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello. Votaram a favor da prisão domiciliar apenas os ministros Dias Toffoli e o vice-presidente da Corte, Ricardo Lewandowski. O presidente do STF, Joaquim Barbosa, não participou da sessão desta quarta-feira.


COMENTÁRIOS