Familiares de passageiros de avião da Malásia criticam autoridades por falta de informação

Familiares de passageiros que estavam no avião da Malásia que caiu na Ucrânia se reuniram no aeroporto em Kuala Lumpur no início da sexta-feira, no horário local, exigindo informações sobre o que aconteceu e obtendo poucas respostas.

Por Anuradha Raghutr_rgb_pos_thumb

KUALA LUMPUR (Reuters) – Atordoados e incrédulos, familiares de passageiros que estavam no avião da Malásia que caiu na Ucrânia se reuniram no aeroporto em Kuala Lumpur no início da sexta-feira, no horário local, exigindo informações sobre o que aconteceu e obtendo poucas respostas.

O Boeing 777 da Malaysia Airlines com 295 pessoas a bordo deveria ter pousado em Kuala Lumpur às 6h10 da manhã de sexta-feira (19h10 da quinta-feira no horário de Brasília), proveniente de Amsterdã. O avião caiu perto da fronteira entre Ucrânia e Rússia e todos a bordo morreram.

“Vi a notícia na TV”, disse Akma Mohammad Noor, cuja irmã, Rahimah, estava no voo. “Ela deveria ter viajado com o filho, mas ele não quis ir.”

Como muitos muçulmanos malaios, Rahimah voltava à sua terra natal para o festival de Eid al-Fitr, maior comemoração anual do islamismo que marca o fim do mês de jejum do Ramadã, em 28 de julho.

A Ucrânia acusou “terroristas” – militantes que lutam para unir o leste ucraniano à Rússia – de abaterem o avião, mas os rebeldes negaram qualquer responsabilidade.

A queda do voo MH-17 é o segundo desastre da Malaysia Airlines este ano após o desaparecimento misterioso do voo MH-370 em março, com 239 passageiros e tripulantes, que viajava de Kuala Lumpur para Pequim.

Outros parentes em Kuala Lumpur ficaram revoltados com a falta de informações da companhia aérea sobre quem estava no voo. Um deles criticou asperamente as autoridades.

“O MAS é idiota?”, gritou, referindo-se ao Sistema da Malaysia Airlines (MAS, na sigla em inglês), o nome oficial da empresa. “Só queremos saber a lista de passageiros.”

Ele disse que sua irmã, seu cunhado e um bebê de 2 anos podem ter estado a bordo.

“O Facebook é mais eficiente que a rede de notícias do MAS”, disse outro homem que esperava por notícias com uma parente. “É uma piada. Precisamos saber da lista. A lista. É só isso.”

Mais cedo, a Malaysia Airlines declarou que os controladores de tráfego perderam contato com o voo às 11h15 (horário de Brasília), enquanto este sobrevoava o leste da Ucrânia rumo à divisa com a Rússia. Dados de acompanhamento do voo indicaram que a aeronave estava a 33 mil pés quando desapareceu Do rada.

  (Por Raju Gopalakrishnan)

Mulher chora enquanto espera informações no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur. 18/7/2014 (na Malásia). (REUTERS/Samsul Said)

Mulher chora enquanto espera informações no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur. 18/7/2014 (na Malásia). (REUTERS/Samsul Said)


COMENTÁRIOS