Dirceu tem seu 1º dia de trabalho

Ele trabalhará como auxiliar de biblioteca no escritório do advogado José Gerardo Grossi, que já foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Hoje, as 7h20, José Dirceu, condenado pelo processo do mensalão, saiu da penitenciária ao seu primeiro dia de trabalho, como auxiliar de biblioteca no escritório do advogado José Gerardo Grossi, que já foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O emprego prevê jornada de 8h às 18h, e um salário de R$ 2,1 mil.

Pelas regras do trabalho externo, o preso não pode dar entrevistas, por isso não conversou com a imprensa. Na hora do almoço, que segundo o seu patrão é a pausa é de uma hora, ele não pode se deslocar além de 100 metros do local de trabalho. No final da jornada, ele tem até duas horas pra voltar à penitenciária, e não poderá passar em nenhum outro lugar.

Nesta quinta-feira, outros dois condenados no mensalão retomam o trabalho externo. São eles O ex-presidente do PR, Valdemar Costa Neto, o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e o ex-deputado Bispo Rodrigues que já estavam trabalhando durante a pena, mas tiveram o benefício revogado pelo ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal.

Na última semana, no entanto, o plenário do tribunal entendeu que eles poderiam voltar ao trabalho externo.

Eles deixaram o Centro de Progressão Penitenciária e saíram em carros separados, com destino aos seus devidos locais de trabalho.

Delúbio e Valdemar vão retomar as atividades que exerciam antes de o benefício ser revogado por Joaquim Barbosa.

Delúbio Soares volta no assessoramento aos sindicalizados na Central Única dos Trabalhadores (CUT), cujo salário estimado é entre 4 a  5 mil reais, com jornada das 8h às 18h.

Valdemar Costa Neto volta como gerente administrativo de um restaurante industrial nos arredores de Brasília.

 

José Dirceu

José Dirceu. (Foto: Agência Brasil)


COMENTÁRIOS