Consórcio não apresenta documentos e monotrilho de SP segue interditado

Obras estão suspensas desde o desabamento de uma viga que matou operário no último dia 9 de junho

Previsão de conclusão do monotrilho é para 2016.  (Foto: Divulgação)

Previsão de conclusão do monotrilho é para 2016. (Foto: Divulgação)

Por Bruno Bocchini, repórter da Agência Brasil. Edição: Graça Adjuto

A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo manteve a interdição em parte das obras do Monotrilho Linha 17 Ouro, paralisadas desde o desabamento de uma viga da estrutura, no último dia 9 de junho, que matou um operário. De acordo com a superintendência, o consórcio responsável pela obra não apresentou a documentação necessária para a liberação dos trabalhos.

“O consórcio, composto pelas empresas Andrade Gutierrez e CR Almeida, deveria apresentar, no último dia 3, a proposta de uma nova tecnologia de içamento, lançamento e fixação da viga, o que não ocorreu. Além disso, deveria assinar um termo de compromisso visando a garantir a segurança do ambiente de trabalho da obra, mas alegou que ainda está no estudo jurídico das cláusulas exigidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego”, disse, em nota, a superintendência.

Para que a obra seja completamente liberada, o consórcio deverá cumprir quatro exigências: a revisão dos procedimentos de içamento, lançamento e colocação dos pilares; a revisão dos projetos de ajuste e sustentação da viga; análise de risco dos procedimentos, descrição detalhada das tarefas e capacitação dos trabalhadores; e a apresentação de relatórios técnicos que garantam segurança nos procedimentos e análises de risco.

A reportagem tentou na tarde de hoje (4), sem sucesso, contato com o consórcio responsável pelas obras.


COMENTÁRIOS