Avanço militar israelense em Gaza semeia terror e provocação

Soldados israelenses em tanques e tratores ocuparam a parte leste da fronteira com a Faixa de Gaza neste sábado

GAZA/JERUSALÉM (Reuters) – Soldados israelenses em tanques e tratores ocuparam a parte leste da fronteira com a Faixa de Gaza neste sábado, e oficiais palestinos disseram que os ataques militares deixaram mais de 300 mortos, a maioria civis.

Israel fez na quinta-feira um ataque terrestre, naval e por ar na região, após 10 dias de combates.

Militares disseram que os engenheiros estavam concentrados em uma zona neutra efetiva de 2,5 quilômetros, tentando destruir túneis cavados por militantes do grupo islamista Hamás após o último grande enfrentanto ocorrido em 2012.

Os oficiais palestinos disseram que pelo menos 325 palestinos, incluindo 70 crianças, foram mortos na ofensiva feita por Israel em 12 dias de conflito. Do lado de Israel, um soldado e dois civis foram mortos.

A escalada das hostilidades tem ocorrido após o sequestro e assassinato, no mês passado, de três estudantes seminaristas judeus em incidente que Israel responsabiliza o Hamás.

(Texto de Louise Ireland)

Palestinos em volta do corpo da menina de 10 anos Nour al-Najdi, morta em um ataque aéreo de Israel segundo autoridades médicas, durante seu funeral na mesquita de Rafah, no sul de Gaza. 11/06/2014.  (REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa)

Palestinos em volta do corpo da menina de 10 anos Nour al-Najdi, morta em um ataque aéreo de Israel segundo autoridades médicas, durante seu funeral na mesquita de Rafah, no sul de Gaza. 11/06/2014. (REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa)


COMENTÁRIOS